Cozinhar no mato: Fogueira ou fogareiro?

Untitled-4

Seja em um acampamento ou situação de emergência, cozinhar em local sem estrutura pode ser um desafio. Por isso, quando começamos a nos preparar para ir para o mato uma grande pergunta com certeza irá surgir: Vou cozinhar com um fogareiro ou na fogueira? 

Depois de muito tempo acampando percebi que esta é uma dúvida recorrente. As incertezas são muitas: Vale mesmo a pena comprar um fogareiro sendo que posso fazer uma fogueira? É melhor confiar em tecnologia ou ser mais primitivo? Qual é mais eficaz?

Vamos tentar pontuar os lados positivos e negativos de cada prática neste texto.

banner1.jpg

A fogueira é um elemento multipropósito no campo, afinal, serve para cozinhar, aquecer e iluminar durante a noite. Sempre presente nas cenas de filmes e fotos de pessoas acampando, é algo que fez parte da vida do homem desde seu tempo mais primitivo e remoto. Mas… Quais as vantagens e desvantagens de usá-la em seu acampamento?

Nunca faça uma fogueira em locais proibidos ou se você não tiver segurança do que está fazendo, o portal Sobrevivencialismo.com não apoia atitudes irresponsáveis que colocam a fauna e flora em risco.

Vantagens:

  • Multipropósito: Como dissemos no parágrafo acima, uma fogueira serve para diversas funções diferentes, enquanto para conseguir o mesmo com equipamentos você já precisaria de lampiões e fogareiros;
  • Peso reduzido: Para fazer uma fogueira você precisa somente de um bom iniciador de fogo e algumas iscas, e o peso disso em sua mochila é mínimo. Além disso, o combustível você encontrará no local de campo, evitando assim ter que carregá-lo desde casa;
  • Treino primitivo: Em uma situação de emergência nem sempre você terá equipamentos com você. Fazer uma fogueira ajudará você a treinar a habilidade de montar e alimentar um bom fogo (que é algo mais difícil do que parece), além de lhe forçar a testar técnicas diferentes para encontrar a que é mais eficiente para o material e local que você está;
  •  Combustível virtualmente ilimitado: Na grande maioria de regiões do planeta você conseguirá alimentar sua fogueira com o que o ambiente te oferece. Isso é um grande ponto visto que não lhe deixará dependente de um combustível finito como o gás butano.

Desvantagens:

  • Risco de incêndio: O maior ponto contra de uma fogueira é o risco de incêndio que ela oferece para a mata ao seu redor. Não são poucos os casos de pessoas que não fizeram fogo de maneira correta e uma faísca atingiu material seco no mato, começando um incêndio enorme. Fazer uma fogueira exige responsabilidade e supervisão constante;
  • Qualidade de combustível: Sim, apesar de haver uma quantidade virtualmente ilimitada de combustível existem locais que só fornecem lenha de baixa qualidade para queima (como é no caso do cerrado). Isso quer dizer que você terá de coletar uma grande quantidade de lenha para manter seu fogo minimamente funcional e ele terá variações de temperatura constantes, prejudicando o preparo da sua refeição;
  • Gasto de energia: Para fazer fogo é preciso coletar lenha. Muitas vezes, você terá de passar um bom tempo cortando pedaços grandes de madeira para aproveitá-los melhor no fogo, e isso pode um gerar gasto calórico não muito bem vindo em situações de urgência;
  • Fumaça, fumaça em todo lugar: A fumaça é um forte indicador de presença. Se você não souber dosar a queima de cada tipo de lenha, provavelmente sua fogueira se tornará uma máquina de fumaça que mostrará a todos da região que alguém está por ali. Além disso, pode parecer frescura, mas quem acampou com fogueira sabe o quão desgastante é ficar horas em frente ao fogo levando fumaça na cara. Além de deixá-lo com os olhos irritados, também deixará seus equipamentos cheirando fumaça por muito tempo;
  • Fuligem: Depois de cozinhar na fogueira você terá mais trabalho, pois suas panelas ficarão completamente pretas de fuligem. E não, não adianta querer “enrolar” e guardá-las assim mesmo, pois toda essa fuligem vai sujar sua mochila e tudo aquilo que entrar em contato com ela. Não se esqueça de levar no seu kit de cozinha um bom sabão e palha de aço, pois você gastará ao menos 10 minutos limpando seus utensílios;
  • Vulnerabilidade: E se estiver chovendo por dois dias seguidos? Como você vai encontrar lenha? Já passei mais de 3 horas lutando para acender um fogo funcional no meio da chuva e lhe garanto que você não quer isso em um acampamento para diversão e muito menos em uma situação de emergência.

Em toda a minha história de acampamentos a relação com a fogueira é sempre algo dual, que fica entre amor e ódio. Já compartilhei muitos momentos fantásticos de conversas e risadas em volta de uma fogueira, mas também já passei muito frio e raiva tentando fazer uma pequena chama para me aquecer.

Se caso você prefere fogueiras, existem algumas coisas que podem facilitar a sua vida:

  • Iniciador de fogo: Para não precisar preparar iniciadores em casa e ter algo com certeza de eficácia;
  • Saco de dormir de emergência: Para criar um refletor de calor e aumentar a eficiência do fogo, ou até mesmo se esquentar se a fogueira não pegar;
  • Serrucho: Forma simples de poder cortar lenhas mais grossas se caso você não tiver uma faca (e seu peso é insignificante);
  • Pederneira: Em vez de confiar em fósforos e isqueiros que são propensos a falha, uma pederneira de boa qualidade pode garantir faíscas suficientes para incendiar o iniciador de fogo e logo, lhe garantir uma fogueira;

banner2.jpg

O fogareiro é um equipamento de crescente popularidade no meio de campistas e sobrevivencialistas. Com variações imensas de modelos e tipos de combustíveis, é um equipamento focado para facilitar suas refeições em ambientes selvagens. Quais são suas vantagens e desvantagens? Vamos conhecê-las agora.

Vantagens: 

  • Praticidade: Este é um ponto incontestável. Enquanto com uma fogueira eu demoro aproximadamente de 40 minutos a 1 hora para preparar uma refeição, com o fogareiro faço isso na metade do tempo. Basta tirá-lo da mochila, acender a chama e colocar a panela no fogo com a intensidade que for mais apropriada – isso é quase que luxo em um local selvagem e sem estrutura;
  • Confiabilidade: Seja uma espiriteira a álcool ou um fogareiro de alta montanha, as chances é que eles vão funcionar sem problemas durante seu acampamento. Esteja chovendo, geando, nevando… Ele vai funcionar desde que esteja em ordem e com combustível. Vale lembrar que a maioria dos modelos hoje conta com acendedor automático, então você não depende de fósforos ou isqueiros;
  • Portabilidade: Diferente da fogueira que depende diretamente do combustível encontrado na natureza, o fogareiro pode ir com você para onde você quiser dentro da sua mochila. Isso é realmente bem vindo quando você está em situações mais extremas onde os recursos são escassos e não há tempo de montar uma base para acampar;
  • Eficiência: Sempre fico impressionado com a eficiência dos fogareiros, especialmente os de butano. Já tive cartuchos de gás que duraram mais de 2 noites acoplados ao lampião e 8 refeições com folga! Basta saber cozinhar de maneira eficiente para não gastar combustível a toa e você terá um bom tempo de combustível em um pequeno recipiente;
  • Controle: Como a chama de um fogareiro é regulável, você consegue cozinhar de forma muito segura. Com experiência é possível cozinhar até mesmo dentro do avanço de uma barraca quando o tempo não está colaborando;
  • Não deixa rastros: Para sobrevivencialistas, este é um ponto muito importante. O fogareiro mal faz barulho, sua luz é facilmente escondida e não há emissão de fumaça ou restos de cinza. Quer passar por um local, utilizar fogo e sumir? O fogareiro é de longe a opção mais assertiva.

Desvantagens:

  • Custo: Estes equipamentos possuem uma variação enorme de preços, porém ainda assim se comparados com o custo de uma fogueira, são mais caros – obviamente. Lembre-se que além de investir no fogareiro você terá que comprar combustível regularmente, o que adicionará mais um gasto para os seus acampamentos;
  • Peso: Carregar um fogareiro e seu combustível com certeza adicionará algum peso aos seus equipamentos. Meu kit atual (cartucho de gás e fogareiro) devem ficar em 340 gramas aproximadamente – não é muito, mas obviamente é mais do que o que você carrega para fazer uma fogueira;
  • Combustível limitado: Apesar da longa durabilidade, você não pode fabricar butano no meio do mato. Isso requere que você esteja sempre atento ao gasto de combustível e se seu cartucho de gás estiver chegando ao fim é inteligente já levar outro para não ser pego de surpresa;

Atualmente tenho usado muito o fogareiro em meus acampamentos, e o equipamento realmente tende a ser bastante conveniente para os mais diversos cenários. Se você tem buscado esta alternativa aqui vão algumas sugestões de itens que posso recomendar:

  • Fogareiro Júpiter: Existem fogareiros muito grandes e outros muito pequenos, que fazem inclusive você derrubar sua panela. Este modelo conseguiu acertar a medida correta, e hoje é o material que uso com mais frequência;
  • Cartuchos de gás: Se você vai usar um fogareiro, precisará de combustível. Atualmente os cartuchos de gás butano são os mais populares e práticos;
  • Kit cozinha: Este kit de cozinha serve muito bem para uso individual visto que possui panelas antiaderentes que facilitam a limpeza. Além disso, seu tamanho é compacto e ainda permite utilizar o espaço interno para levar alguns condimentos para deixar a comida mais saborosa.

Conclusão: Qual é melhor?

A resposta é a mais frustrante de todas para um iniciante: Depende. Digo isso pois “a melhor escolha” dependerá de qual o seu objetivo com estas incursões no mato e também que tipo de experiência ou habilidades você quer obter.

Se eu pudesse indicar um caminho eu diria: Escolha os dois, a escolha de um não exclui a possibilidade de levar o outro.

Esta dica vale especialmente para iniciantes, pois assim você pode tentar fazer uma fogueira e aprender a controlar o fogo de maneira segura sem se sentir pressionado pensando que sua janta depende disso. Se caso o fogo não funcionar, basta pegar o fogareiro na mochila para garantir sua refeição.

No meu caso, tenho usado esta estratégia mista durante os últimos anos. Geralmente faço uma pequena fogueira para assar batatas, fazer pão ou até mesmo fritar peixes e complemento isso com um bom arroz carreteiro, strogonoff ou sopa feito no fogareiro.

Quando estou focado em apenas treinar técnicas de sobrevivência o fogareiro fica em casa e aposto minhas cartas na minha habilidade de fazer, manter e esconder o fogo. Contudo não posso recomendar que você se coloque em situação de risco a não ser que já tenha uma boa experiência no assunto – se você não está seguro, leve um backup.

Estas foram as minhas percepções pessoais sobre as vantagens e desvantagens destes dois métodos de cozinhar em meio selvagem. E você, o que prefere usar quando está em campo? Tem alguma dica que ameniza as desvantagens que citei acima? Enriqueça esta matéria com o seu comentário e relato!

Até.

Fonte: https://sobrevivencialismo.com/2016/05/03/cozinhar-no-mato-fogueira-ou-fogareiro/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s